Corpo de potiguar é identificado



O corpo do potiguar Soluwellington Vieira de Sá, de 40 anos, foi identificado pelo Instituto Médico Legal do Recife. De acordo com Solon Henrique Filho, irmão da vítima, a família foi informada no início da noite de ontem pela Polícia Federal de Pernambuco. A notícia chegou aos familiares uma hora depois da missa celebrada na igreja Sagrado Coração de Jesus, em Mossoró, em homenagem a Soluwellington.

"Essa informação alivia um pouco mais a nossa dor. Desde que soubemos da tragédia, depois da notícia de que não se havia mais esperanças de encontrar sobreviventes, nosso desejo era poder ao menos sepultá-lo", comentou. Solon contou que desde o domingo, a família tentava contato com a PF para saber mais informações a respeito dos corpos identificados. A notícia de que as buscas haviam cessado deixou todos apreensivos. Por isso, a informação de hoje foi encarada com "um milagre de Deus". "Das 228 pessoas a bordo, apenas 51 foram encontradas. O fato doSoluwellington estar entre elas é um fato encarado por todos nós como um milagre. Isso não tira a nossa dor, mas nos alivia bastante", desabafou o irmão.

Depois do anúncio da identificação de Soluwellington, a família espera um novo contato da Polícia Federal para tratar dos trâmites burocráticos do traslado do corpo até Natal. "Eles ficaram de nos ligar novamente na manhã desta quarta (hoje), por volta das 8h. Até agora, ainda não sabemos de nada sobre os procedimentos. Vamos aguardar o contato", explicou, já antecipando que o irmão, que era chefe de embarcações, será enterrado num cemitério de Mossoró. A família ainda estuda a possibilidade de acionar a Air France na justiça.

O voo 447 da Air France desapareceu sobre o oceano Atlântico na noite de domingo (31 de maio), depois de decolar do aeroporto Tom Jobim, no Rio de Janeiro, com destino a Paris. Soluwellington ia para o Egito, onde trabalhava como comandante de embarcações da empresa Geokinetics Geophysical do Brasil Ltda - que atua com pesquisa petrolífera em áreas marítimas. Na segunda-feira passada, a Marinha Brasileira deu fim às buscas jogando pétalas de rosas no mar.
Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade