Mais oito casos confirmados


Oito novos casos da gripe suína foram confirmados no Rio Grande do Norte. Desse total, apenas um paciente não saiu do estado. Cinco estiveram nos Estados Unidos, um é parente de uma pessoa que também esteve nos EUA e o outro é um paranaense que veio passar férias em Natal. No total, o RN registra 23 casos, sendo 19 moradores de Natal, dois de Parnamirim, um do Rio de Janeiro e um do Paraná (14 mulheres e 9 homens).

Mesmo com o aumento, a coordenadora do Programa de Controle da Influenza A, Stella Leal, afirma que a população deve manter a calma porque muitos pacientes já foram liberados do isolamento domiciliar e só agora os resultados foram apresentados pelo Laboratório Evandro Chagas. "Apenas dois continuam sendo monitorados em suas residências os outros já foram liberados".

Para evitar superlotação no Hospital Giselda Trigueiro, Stella acrescentou que a Sesap recomenda que apenas as pessoas que apresentarem sintomas mais graves de gripe devem procurar a unidade. "As pessoas que apresentarem sintomas leves de gripe devem procurar os postos de saúde ou o médico de sua confiança. Essa é uma maneira de racionalizarmos a procura pelo Giselda".
Apesar de ter sido confirmado um caso de gripe suína em uma pessoa que não saiu do RN, Stella declarou que ainda não é possível afirmar se o vírus está circulando no estado. "A investigação do contágio desses pacientes é que vai poder dizer se o vírus circula. Estamos buscando também pessoas que tiveram contato com os pacientes durante o período de transmissão".

Hospitais privados

A enfermeira Rosemary Medeiros, que trabalha na Casa de Saúde São Lucas, conta que a forma simples da doença está sendo tratada no próprio hospital. "Os pacientes são internados aqui em isolamento respiratório, usando máscara, ou liberados para casa sob orientação de evitar circular em áreas externas ou ambientes fechados, além da recomendação de cobrir boca e nariz ao espirrar ou tossir com um lenço,que deve ser descartado, e evitar tocar olhos, boca e nariz". A enfermeira conta que 80% dos atendimentos feitos no hospital são de pacientes com infecções das vias aéreas superiores.

"Nós estamos tendo muito mais cuidado tanto na lavagem de mãos, quanto no uso de máscaras como maneira de se prevenir porque, além da nova gripe, existe também uma grande preocupação dos funcionários com a conjuntivite. A cada duas horas nós trocamos a máscara descartável para evitar contaminação", explicou uma técnica de enfermagem do hospital.

Natalenses se previnem


A procura por paracetamol, vitamina C, máscaras e gel para as mãos nas farmácias tem aumentado. Em uma farmácia na Avenida Prudente de Morais a máscara descartável e o Tamiflu, medicamento que desacelera a multiplicação do vírus da gripe, estão em falta. O farmacêutico Max Filgueira, que trabalha no local, diz que a demanda por esses materiais tem sido grande. "Quando as pessoas têm qualquer gripe, imediatamente vêm comprar o Tamiflu mesmo sem ir ao médico. Oproduto custa R$ 164,57 e, mesmo assim, as vendas continuam aumentando e acabando todo o estoque". Ele faz uma campanha dentro da própria farmácia para conscientizar os clientes da importância em se lavar as mãos para prevenir contra a nova gripe, e distribui panfletos. "O objetivo não é alarmar a população, mas evitar que a Influenza A possa se propagar no estado". Numa farmácia na Rua Apodi uma funcionária informou que houve necessidade de mudar de distribuidor porque o atual estava em falta com o estoque de máscaras descartáveis.

Escolas

O presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Rio Grande do Norte, Alexandre Marinho, informou que irá se reunir com coordenadores e diretores para orientá-los a comunicarem aos pais a necessidade dos alunos que acabaram de chegar de viagem ficarem afastado das escolas por uma semana. A reunião acontece na próxima segunda-feira, às 14h, no auditório do Intituto Maria Auxiliadora.
Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade