Mantega descarta prorrogação do IPI para fogões e geladeiras até dezembro


O ministro Guido Mantega (Fazenda) negou nesta quinta-feira (15) que o governo tem a intenção de prorrogar até o fim do ano o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) paras os produtos da chamada linha branca (máquinas de lavar, fogões, geladeiras e tanquinhos). Esses produtos estão isentos do imposto até o próximo dia 31. “Não há mudança nenhuma para o IPI”, disse o ministro, segundo a Agência Brasil.


Nesta quinta, o ministro Paulo Bernardo (Planejamento) disse, porém, que o assunto deve ser “resolvido” nos próximos dias. “Esse assunto é do Ministério da Fazenda. O ministro Guido me parece que já conversou com o presidente Lula, me parece que uma conversa ainda preliminar, mas me parece que nos próximos dias isso será resolvido. Vamos aguardar”, afirmou, ao ser questionado sobre uma possível prorrogação do IPI.

A redução do IPI em alguns setores industriais foi uma estratégia adotada pelo governo para estimular o consumo em setores-chave da economia durante o período mais agudo da crise financeira internacional.

Além da linha branca, a redução do IPI foi aplicada ao setor automotivo e à construção civil. No caso dos automóveis, o governo prorrogou no final de junho a redução do imposto por mais três meses –o prazo venceu no final do mês passado –, mas manteve caminhões isentos do tributo até 31 de dezembro. Para os materiais de construção a prorrogação foi por seis meses.
O governo também mexeu em contribuições para tentar manter o nível da atividade econômica. Motos, por exemplo, tiveram desoneração do PIS/Cofins até setembro. O trigo, a farinha e o pão francês também ficaram livres do PIS/Cofins por 18 meses.

Fonte: G1
Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade