Prefeitura suspende pagamento





A prefeita de Natal, Micarla de Sousa, decidiu que o pagamento dos custos com a apresentação do padre Fabio de Melo, na noite do último dia 25, só será feito após a Talento Produções, representante do padre no contrato, detalhar todos os itens de despesas que somaram os R$ 221 mil cobrados pelo show. A decisão foi tomada em conjunto com o padre que também está preocupado com a repercussão do caso.

“A Prefeitura quer garantir a transparência e lisura do processo”, disse o secretário de Comunicação da Prefeitura, Jean Valério, Segundo ele, o espetáculo foi contratado pela Prefeitura com uma dispensa de licitação publicada no Diário Oficial no dia 23 de dezembro, num pacote fechado e, portanto, o detalhamento dos gastos só será possível com a prestação de contas. O show encerrou a programação de apresentações de artistas nacionais, no Natal em Natal, a abriu o congresso eucarístico da Igreja Católica que marca os 100 anos de criação da Arquidiocese de Natal, comemorados hoje.

O valor de R$ 221 mil do contrato entre a Prefeitura e a Talento Produções inclui o cachê do padre Fábio de Melo e também despesas de hospedagem e o fretamento de um avião que trouxe o padre e a equipe dele à Natal. O próprio Padre Fábio de Melo fez questão, durante o show da última sexta-feira, de dizer ao público que R$ 90 mil foram destinados à contratação de um vôo fretado.

Na noite do sábado, conversando pelo twitter com a jornalista Eliana Lima, colunista da TRIBUNA DO NORTE, o padre Fábio de Melo disse que “a apresentação em Natal fazia parte de uma turnê” por outras três cidades do Nordeste. As outras apresentações foram canceladas e, segundo ele, “o custo do voo fretado, que seria rateado entre todas as cidades, ficou apenas para Natal”.

O padre Fábio de Melo disse, ainda, que a responsabilidade pelo contrato e pelo valor dos cachês acertados em cada apresentação que ele faz pelo Brasil é toda da Talento Produções. À colunista Eliana Lima, o padre garantiu que vai pedir explicações a Talento Produções sobre o valor cobrado à prefeitura de Natal e prometeu uma entrevista exclusiva sobre o assunto (leia na página seguinte, na coluna de Eliana Lima),

A reportagem da TRIBUNA DO NORTE entrou em contato com a Talento Produções, sediada em Belo Horizonte, mas uma funcionária informou que os responsáveis pela produtora estão em “férias coletivas de fim de ano” e não poderiam comentar a polêmica gerada com o preço do show.

Faltam explicações sobre gastos

A principal questão a ser respondida pela Talento Produções seria o detalhamento dos gastos dos R$ 221 mil investidos pela Prefeitura no espetáculo para a noite natalina e a abertura do congresso eucarístico pelos 100 anos da Arquidiocese de Natal. Até então o único esclarecimento feito, pelo próprio padre Fábio de melo durante o show, é de que o vôo fretado num jatinho custou R$ 90 mil.

Quando ainda não sabia que o padre Fábio de Melo e a equipe do show haviam viajado em avião fretado, o secretário chegou a declarar para a repórter Anna Ruth Dantas, que os R$ 221 mil incluem despesas com “hospedagem, passagens aéreas, excesso de bagagem, palco e som”. Um outro auxiliar da prefeita Micarla de Sousa, o presidente da Funcarte, Rodrigues Neto, chegou a comentar que “por ser próximo da prefeita”, o padre teria cobrado só 50% do cachê.

Fontes não oficiais, ouvidas pela repórter Anna Ruth Dantas para o blog “Panorama Político”, informaram que em julho passado o padre Fábio de Melo cobrou R$ 40 mil para uma apresentação em Campina Grande (PB).

Aspectos legais do contrato não estão sendo questionados. A dispensa de licitação é prevista em lei, quando se trata de contração de artistas. A dúvida é se essa dispensa inclui a contratação de palcos, sistema de luz e som e outros itens necessários ao show. A Procuradoria Geral do Município informou, ontem, que não teve acesso ao contrato e, portanto, não pode emitir qualquer parecer sobre essa questão.
Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade