Procuradoria recomenda cassação da prefeita do município de Espírito Santo

A cassação da prefeita do município de Espírito Santo, a 69 quilômetros de Natal, foi recomendada pela Procuradoria Regional Eleitoral no Rio Grande do Norte. Daize Florêncio da Costa Correia e seu vice, Antônio Figueiredo de Souza Neto, são acusados de compra de voto.

O parecer da Procuradoria, elaborado pelo procurador regional eleitoral auxiliar, Gilberto Barroso de Carvalho Júnior, destaca que a representação eleitoral do candidato opositor Francisco de Araújo de Souza foi ajuizada antes da diplomação, portanto, dentro do prazo reconhecido pelo Tribunal Superior Eleitoral. "O TSE já pacificou a matéria, considerando que o prazo para o manejo da ação que visa o reconhecimento da captação ilícita de sufrágio estende-se até a data da diplomação", explica o procurador.

Para a Procuradoria, a pertinência e a semelhança entre os depoimentos das testemunhas comprovam a existência de compra de voto. Os candidatos ainda recorreram alegando não haver prova do ato.

De acordo com testemunhas do processo, o marido da candidata, Manoel Correia, encaminhou diversos eleitores a um posto da cidade para a entrega de combustível. Além disso, vales-gás foram distribuídos durante o período eleitoral.

A Procuradoria também apurou que, durante a campanha, Daize distribuiu valores entre R$ 30 e R$ 100, para a compra de voto. O procurador afirma que uma das testemunhas recebeu R$ 30 no dia da eleição e foi seguida até o local de votação.
Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade