Centrais do cidadão vão parar atendimento

A população potiguar e a administração pública enfrentarão mais uma paralisação de serviços públicos esta semana. Os servidores que atuam nas Centrais do Cidadão irão suspender o atendimento ao público, a partir da próxima terça-feira, dia 24. O movimento visa pressionar o governo a retomar o pagamento das gratificações de gabinetes – em atraso desde janeiro deste ano - que foram suspensas na última semana por decreto da governadora Rosalba Ciarlini. Em todo o Estado, são 842 servidores, cedidos de diversas secretarias estaduais e prefeituras que trabalham em 22 Centrais.

O abono, no valor de R$ 600, para profissionais de nível superior e de R$ 450,00 para os de nível médio, faz parte do acordo para cessão à repartição e ao trabalho de atendimento, com horário diferenciado de terça à sábado. “Muitos funcionários estão tendo dificuldades inclusive para pagar a condução e vir trabalhar. É um direito nosso que está sendo privado. E não há uma resposta sobre quando e como esse impasse será resolvido”, observa a supervisora Jaíra Peres.

As condições de trabalho também são motivo de insatisfação. Na Central do Cidadão do Shopping Via Direta, mesmo antes da greve, alguns serviços estão suspenso por falta de material de expediente, como papel, caneta, cola e cartuchos para impressora, além de problemas na estrutura. Lâmpadas queimadas e quebradas, problemas na instalação elétrica, fiação exposta e diversos pontos de fonte de energia descobertos somados à inúmeras infiltrações e vazamentos, oferecem risco aos servidores e usuários. Buracos e rachaduras no revestimento do teto se multiplicam. O painel foi desativado e alguma placas ameaçam ceder do teto. “Trabalhamos em condições desumanas e retiram a gratificação”, disse uma funcionária que preferiu não se identificar.

Há cerca de um mês, a emissão de certidão de antecedentes é o único serviço prestado no box do Instituto Técnico Científico de Polícia. Isto porque falta plástico e os equipamentos de plastificação e impressora estão quebrados. Os funcionários contam que é preciso trazer monitores para o setor para conseguir trabalhar. No box do Sine, um vazamento do aparelho de ar condicionado compromete a instalação elétrica. O serviço foi paralisado na última sexta-feira.

Por telefone, o secretário de Justiça e Cidadania Thiago Cortez, informou que não foi notificado da paralisação e que a Secretaria não pode se posicionar contra um decreto da governadora.

Motoristas vão entrar em greve

Os motoristas e cobradores de ônibus de Natal entrarão em greve por tempo indeterminado, após a meia-noite deste domingo. A decisão foi tomada na última quarta-feira, dia 18, após assembleia geral da categoria e o “insucesso” nas negociações entre o Sindicato dos Transportes Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro/RN) e o sindicato patronal Seturn, iniciadas em abril. Os rodoviários reivindicam reajuste de 13,98% no salário-base. Atualmente as remunerações praticadas são de R$ 1.192,00 para motorista, por jornada diária de trabalho de 7h20min, e de R$ 715,00 para cobradores. A contrapartida apresentada pelos donos de empresa, de 6,30% referente ao IPC. “O percentual não representa ganho real, apenas a reposição da inflação no período”, ressalta o presidente do Sintro Nastagnan Batista.

Além, do aumento salarial, a categoria busca a unificação do vale-alimentação para R$ 300,00 – equivalente a R$ 10,00 por dia. A implantação de plano de saúde, cesta básica e o retorno do quinquênio – abono de 5% uma aumento de 5% e a supressão da clausula de dupla função.

Na última quinta-feira, dia 18, a categoria promoveu paralisações de ônibus em três pontos da cidade: no Baldo, em frente ao sindicato da categoria (Sintro), onde era realizada a assembleia; na Bernardo Vieira; e também nas proximidades da Prefeitura de Natal.

A partir de amanhã, o serviço de transporte coletivo será feito por frota emergencial, composta por 196 veículos distribuídos pelas empresas, o que segundo Aldilene Zuza, diretora do Departamento de fiscalização e Vistoria da Semob, obedece a lei de greve que exige a manutenção de 30% da frota atual de 647 veículos. “A Secretaria fará a fiscalização tanto nas garagens das empresas, quanto nos pontos de ônibus para assegurar o cumprimento e a frequência dos serviços”, afirmou Aldilene Zuza.

Serviços essenciais são paralisados

As deflagrações de greves no funcionalismo público estadual atinge a prestação de serviços essenciais à população do Rio Grande do Norte. Afora, os servidores das Centrais, diversas categorias estão em greve ou anunciaram o início da paralisação para os próximos dias.

Em protesto contra a falta de cumprimento do Plano de Cargos e Salários, os servidores da Secretaria Estadual de Tributação, entraram em greve ontem, e o Detran, a partir de amanhã.

Cerca de 700 técnicos da SET reivindicam a implantação de 70% restantes do plano de carreira aprovado em 2010. O atendimento foi parcialmente suspenso nas dezesseis unidade espalhadas pelo Estado. Os 260 servidores do Detran no estado, cerca de 150 em Natal, estarão parcialmente paralisados devido a busca de direitos e a negociação com o governo.

Equipamentos

A categoria cobra, além de melhorias salarias, melhores condições de trabalho, como aquisição de equipamentos de segurança e aparelhos que otimizem o serviço.

No dia 25, os servidores da Junta Comercial também cruzam os braços para pressionar o governo a pagar a 2ª parcela do plano de carreira. Além destes, os professores e a polícia civil se mantém em greve desde o dia 2 e 17 deste mês, respectivamente. E os médicos deflagram o movimento no dia 1º de junho.

Fonte: Tribuna do Norte
Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade