Mensalidades devem aumentar acima de 10%

O reajuste das mensalidades escolares para o ano letivo de 2016 ainda não foi definido integralmente pelo Sindicato das Escolas Particulares do Rio Grande do Norte (Sinep/RN). De acordo com os centros de ensino ouvidos pela TN, contudo, os valores devem manter a média de 2015, entre 10% e 13%. A expectativa do Sinep/RN é que as planilhas de custos estejam concluídas até a próxima segunda-feira (16), o que garante a apresentação das anuidades até 45 dias antes do fim do período de matrículas – prazo estipulado pela Lei Nº 9.870/1999.
Salesiano deve divulgar percentual na próxima semana.
“A maioria das escolas estão computando seus custos para as planilhas. Não dá para precisar quais serão as necessidades de cada uma. Vivemos um período de instabilidade econômica muito grande. Não posso falar em percentuais”, declarou Alexandre Marinho, presidente do Sinep/RN, garantindo que os levantamentos serão finalizados até o fim desta semana. “Temos que levar em consideração o reajuste salarial dos professores, que só acontece no mês de março. Por isso leva um tempo. Mas, até dia 15 estará pronto, para apresentar no dia seguinte”, afirmou. 

Para o economista Janduir Nóbrega, os percentuais de reajustes estão dentro da atual realidade inflacionária do país, com Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) na faixa de 9,99%. “Levando em consideração a inflação é o que temos. Mas, claro que existem outros custos neste processo, para as escolas. De modo geral, a mão de obra tem um impacto forte nas folhas de pagamento. Por isso algumas colocam até 13%, que seria 30% mais caro que a inflação”, explicou.

Foi o caso do Instituto Maria Auxiliadora, na zona Leste de Natal. Segundo Irmã Maria Elisabet Vieira da Costa, diretora da escola, entre os critérios para a formulação das taxas de anuidade em 2016, foram considerados os custos de administração, a folha de pagamento e os encargos sociais com funcionários. “Está tudo exposto nos corredores para os pais. Definimos o mesmo aumento do ano passado, em cima da realidade do Brasil, com 12% em cima das mensalidades. É toda a questão para manter nossas atividades”, comentou.

No Colégio Objetivo, zona Sul da capital, as anuidades em 2016 serão 10% mais altas que o cobrado neste ano. O maior peso cairá sobre os pais de estudantes que terminarão o ensino médio, com as mensalidades pré-vestibular/ENEM na faixa de R$ 1.174,48. O Colégio das Neves, zona Leste de Natal, terá um custo mensal menor neste nível – R$ 1.120 – porém, o aumento médio da escola será superior, na ordem dos 13%. Nas classes iniciais (infantil) os valores também são diferentes: R$ 812 no Neves e R$ 735,60 no Objetivo. 

Conforme o especialista em economia procurado pela TN, são estas diferenças de preços que definirão as escolhas na hora de matricular os filhos para 2016. De acordo com Janduir Nóbrega, em um cenário de retração financeira, anuidades mais caras acabam tendo um grande peso no orçamento familiar. “Como não há elevação de receita e as mensalidades sobem, as pessoas acabam tendo que procurar o melhor custo-benefício, em logística, dinheiro e qualidade de ensino. Até porque não é apenas a matrícula, mas, também outras despesas, como material escolar, alimentação, fardamento e transporte”, disse. 

A  TRIBUNA DO NORTE, na tarde de ontem (9), entrou em contato com algumas escolas da capital. Além das respostas que aparecem nesta reportagem, o Salesiano São José informou estar estudando seu reajuste, com previsão para divulgação nesta segunda quinzena de novembro, assim como o Ciências Aplicadas. O Marista já encerrou, mas, não divulgou os números à TN. Facex, CEI Romualdo, Contemporâneo e CDF Deodoro não responderam até o fechamento desta edição. O PROCON Natal, declarou que espera as definições para conferir  os índices. 

Fonte: Tribuna do Norte
Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade