Confira como votou a bancada federal potiguar na denúncia contra Temer

A bancada federal seguiu com o mesmo posicionamento da  votação da primeira denúncia, em agosto
O plenário da Câmara alcançou o quórum de 342 deputados e iniciou por volta das 17h desta quarta-feira (25), a votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco.

Dos 453 parlamentares que estão hoje na Câmara, 410 registraram presença no plenário. Com o quórum atingido, quatro deputados – dois favoráveis e dois contrários ao prosseguimento da denúncia – começaram a encaminhar a votação. Em seguida, os líderes partidários passaram a encaminhar suas bancadas.

A votação foi nominal e cada parlamentar respondeu “sim”, “não” ou “abstenção”. A ordem de votação se dará por ordem alfabética, com alternância entre deputados das cinco regiões do país.

A bancada federal seguiu com o mesmo posicionamento da votação da primeira denúncia, em agosto, quando Temer foi acusado de corrupção passiva. Foram 5 votos favoráveis ao presidente Temer 3 a favor do prosseguimento da denúncia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




O primeiro a votar foi Antônio Jácome (PODE) que alegou que "sem investigação não há punição de culpados" para votar contra o arquivamento da denúncia. Beto Rosado (PP) foi chamado em seguida e votou sim pelo arquivamento. Fábio Faria (PSD) se limitou a dizer que segue o voto do relator da CCJ.

Felipe Maia (PMBD) justificou o sim com os índices favoráveis da economia e a proximidade de novas eleições. "Não vamos criar uma instabilidade política que vai refletir na instabilidade econômica". Rafael Motta (PSB) quebrou a sequência de "sim" e votou pelo não arquivamento da segunda denúncia. "Por um Brasil passado a limpo e investigação dos fatos, eu voto não", disse. 

A economia também foi usada para por Rogério Marinho (PSDB). "Não podemos brincar com nossa economia, não podemos brincar com o futuro dos brasileiros" e votou pelo sim. Marinho também seguiu o relator e votou sim. Walter Alves (PMDB) seiguiu o relator e votou sim.

Zenaide Maia (PR) encerrou a participação da bancada potiguar com o voto contrario ao arquivamento. "Não a impunidade, o crime não está acima da lei", falou. Não foi registrada nenhuma abstenção.
votacao dep 2

VOTAÇÃO BANCADA RN

SIM

Beto Rosado (PP)
Fábio Faria (PSD)
Felipe Maia (DEM)
Rogério Marinho (PSDB)
Walter Alves (PMDB)

NÃO

Antônio Jácome (PODE)
Rafael Motta (PSB)
Zenaide Maia (PR)

Entenda a denúncia

A acusação da PGR por organização criminosa sustenta que os sete integrantes do PMDB, incluindo Temer, montaram um esquema de propina em órgãos públicos, como Petrobras, Furnas e Caixa Econômica. Temer é apontado na denúncia como líder da organização criminosa desde maio de 2016. Temer, Moreira e Padilha têm negado a prática de qualquer irregularidade. Para a Procuradoria, o presidente também cometeu o crime de obstrução de justiça ao dar aval para que o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, comprasse o silêncio do corretor de valores Lucio Funaro, apontado como operador do PMDB

NO MINUTO


Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade