Servidores do RN marcam paralisação para dia 10 e greves

Com a greve dos servidores da Saúde marcada para dia 13/11, atendimentos serão reduzidos

Servidores de diversas categorias do funcionalismo estadual vão paralisar as atividades na próxima sexta-feira (10), no Dia Nacional de Paralisação – ação que está sendo chamado pelas centrais sindicais do país e tem o objetivo de pressionar o Governo Federal contra a perda de direitos trabalhistas. Embora seja uma iniciativa de cunho nacional, os servidores estaduais vão aproveitar a data para cruzarem os braços e protestar contra os sucessivos atrasos no pagamento dos salários por parte do Governo do Estado.

A situação dos salários chegou ao limite em algumas categorias de servidores que já definiram greves por tempo indeterminado. É o caso dos professores da Universidade Estadual do RN (UERN), que na semana passada votaram pela realização de greve, marcada para começar no dia 10. Os servidores da Saúde também estão com greve confirmada, mas para começar no dia 13 de novembro. Na mesma data, Policiais Civis, PMs e Bombeiros realizarão um dia de protestos em frente à Governadoria. Ainda esta semana outras categorias se reúnem para discutir novas ações.

A greve dos servidores da saúde estadual foi decidida na manhã de ontem (6), em assembleia do sindicato da categoria, o Sindsaúde-RN. Segundo o coordenador geral do sindicato, Manoel Egídio Jr, a situação com os atrasos no salário chegou ao extremo e pediu uma atitude mais forte dos servidores. “São 22 meses de consecutivos de atrasos, tanto no pagamentos dos funcionários ativos, quanto dos aposentados. Temos casos de gente que não tem nem o dinheiro para o ônibus”, comenta Egídio. Com a greve, os serviços de saúde restritos a um efetivo de apenas 30% do pessoal em serviços essenciais, como urgência e emergência.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Auxiliar de enfermagem do Hospital Walfredo Gurgel (HWG), Ângela Maria sente as consequências dos sucessivos atrasos de salário. “É uma bola de neve. A gente acaba não conseguindo arcar com os compromissos. É aluguel, contas de luz, água e fatura de cartão de crédito que a gente fica obrigado a adiar o pagamento, tendo que pagar os juros depois”, reclama a servidora, com 33 anos de casa.

Militares

Também insatisfeitos com o não cumprimento por parte do Governo do Estado de realizar o depósito dos vencimentos em dia, servidores da segurança pública vão interromper as atividades na próxima segunda-feira (13), para cobrar a regularização dos pagamentos dos salários. Policiais militares e bombeiros, praças e oficiais, prometem parar as atividades, no ato que chamam de ‘aquartelamento’ e farão um ato em frente a governadoria, a partir das 8h.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do RN (Sinpol), Nilton Arruda, caso o governador não cumpra com o prometido de colocar o calendário de pagamentos em dia, o atendimento ao público será reduzido. “Não nos resta escolha. Nessas condições as operações e investigações serão diminuídas e teremos que determinar horários reduzidos para atendimento”, afirma.

Com relação ao expediente da PM, o major Antoniel Moreira, presidente da Associação dos Oficiais Militares Estaduais do RN, explicou que durante a mobilização do dia 13, a recomendação é para a parada do policiamento ostensivo, com recolhimento das viaturas. “O que não estiver em condições de uso e dentro da validade, seja viatura, munição, colete, não será utilizado e o militar não sairá para as ruas”, ressalta o oficial. “A situação está insustentável. O governador anunciou que iria priorizar o pagamento dos servidores, mas não vimos atitude alguma. Priorizar é pagar dentro do mês trabalhado, ativos, da reserva e pensionistas igualmente”, frisa o subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN).

Outro lado

Após saber do resultado da assembleia, o governador Robinson Faria disse em seu perfil pessoal no Twitter que: “Não aceito insubordinação da Polícia Militar. Sou o governador que mais tem apoiado os PMs em suas reivindicações”. O governador, afirmou, inclusive, que tomará “todas as medidas, inclusive as mais drásticas se preciso for, para garantir o trabalho da segurança para a população”.

Paralisação Nacional

O Dia Nacional de Paralisação, na sexta-feira (10), está sendo convocado pelas centrais sindicais de todo o Brasil contra a reforma da legislação trabalhista, que entrará em vigor no sábado (11). Em Natal, a manifestação será marcada por diversas atividades, ao longo do dia, em vários pontos da cidade. O cronograma de ações foi definida na tarde de ontem (6) no Fórum de Servidores Estaduais do RN. Até o momento está definido um grande ato nas imediações do Midway Mall, pela manhã, e, pela tarde, uma passeata que sai do Alecrim à Cidade Alta, com concentração a partir das 14h.

G1 RN

Compartilhar no Google +

About NCF

Autor

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade